segunda-feira, 7 de março de 2016

Tacho para que te quero

Não me revejo na forma de estar do Bloco de esquerda, mas esta questão:
Maria Luís Albuquerque vai receber cinco mil euros por mês na Arrow Global
Recordou-me este video: Os donos de Portugal

A ex-ministra vai ser administradora não executiva naquela empresa, o que seria normal, não fosse o pequeno pormenor:
"A Arrow Global Group PLC adquiriu  a meio do ano passado as sociedades portuguesas Whitestar Asset Solutions e a Gesphone, por 48 milhões e euros (a pagar em dois anos), cujos activos sob gestão em Portugal atingem 2300 milhões de euros. Em 2014 a Whitestar (gerida por John Calvão e João Ferreira Marques) comprou ao Banif cerca de 300 milhões de euros de crédito mal parado e com esta operação o banco obteve uma mais valia na ordem de 40 milhões. Em 2014, Maria Luís Albuquerque era a representante do maior accionista do Banif, o Estado português.
Mas a relação da Arrow com o Banif não fica por aí. A Oitante, que é a sociedade criada para “limpar” os activos tóxicos ao Banif, abriu um concurso para venda de créditos em risco e imóveis, no valor de 1500 milhões de euros. E contratou para avaliar o valor dessa carteira a já referida Whitestar. Do outro lado, entre as empresas que se propõem comprar esse activos está a Carval, do mesmo grupo Arrow, que acaba de contratar Maria Luís Albuquerque."
Nada de novo, um ex-governante que durante as suas funções no estado executa negócios com privados, e ao sair do governo, vai trabalhar nesses privados. E siga a banda. E ainda se questionam o porquê da classe política portuguesa  não merecer qualquer credibilidade.

Sem comentários:

Enviar um comentário